ERGO 30

ERGO 30

Comunidade Esperança

Comunidade Esperança

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

EXPLOSÃO DA VIOLÊNCIA EM 16 MUNICÍPIOS DE PERNAMBUCO


O assunto do fim de semana foi o clima de medo provocado pela chacina registrada em São José da Coroa Grande, no Litoral Sul de Pernambuco. A guerra do tráfico de drogas resultou em dez mortes em menos de uma semana no município. Mas a explosão da violência não é novidade nem para os moradores, nem para o Governo do Estado.

As estatísticas da Secretaria de Defesa Social (SDS) já apontavam para o aumento desenfreado dos crimes contra a vida. Enquanto em 2016 foram registrados 18 homicídios, no ano passado foram 41. Apesar disso, não houve reforço de policiamento, a delegacia não passou a funcionar em regime de 24 horas e nenhuma política pública foi inserida para mudar a vida de quem entrou para o mundo das drogas. Omissão municipal e estadual.

E a realidade se repete em outros 15 municípios do Estado. Principalmente no Interior, a violência dobrou ou até triplicou nos últimos anos. No Agreste, pelo menos três cidades se destacaram: Caruaru registrou 262 mortes no ano passado. O dobro do resultado de 2014. Gravatá saltou em 37 homicídios em 2016 para 74 em 2017. As estatísticas de São Joaquim do Monte foram ainda piores: os crimes contra a vida subiram de 10 para 29 casos no ano passado.

No Litoral Sul, a cidade de Ipojuca também contabiliza um cenário devastador. Foram 139 assassinatos em 2017. No ano anterior, 74. A cidade de Vitória de Santo Antão registrou 123 mortes em 2017. Foram 70 casos a mais do que em 2014.

O Governo do Estado acerta em contratar policiais para diminuir o déficit de efetivo e reprimir o avanço da criminalidade. Afinal, para citar como exemplo, só três em cada dez inquéritos de homicídios em 2017 foram solucionados. Mas erra em não investir em políticas públicas de enfrentamento às drogas. A Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude mais parece uma pasta fantasma. Não funciona. Nos três anos do governo Paulo Câmara, a secretaria já teve três titulares e nenhum novo programa para combater os problemas sociais.

Apesar de o Governo do Estado insistir que o Pacto pela Vida ainda sobrevive, o que se vê é que faltam novas ideias para superar a difícil fase. E o resultado disso é que os homicídios não param de crescer. E ao cidadão, pasmo com tanta violência, só resta clamar por socorro.

Confira os 16 municípios que tiveram aumento recorde de assassinatos em 2017:

Abreu e Lima – 71

Belo Jardim – 62

Cabo de Santo Agostinho – 198

Caruaru – 262

Condado – 18 (em 2016 foram 6 mortes)

Gravatá – 74

Igarassu – 92

Ipojuca – 139

Lagoa do Carro – 20

Orocó – 11 (em 2016, apenas 5)

Paulista – 223

Pombos – 18 (em 2016 foram 7 casos)

São Joaquim do Monte – 29

São José da Coroa Grande – 41

São Lourenço da Mata – 78

Vitória de Santo Antão – 123

JC

Nenhum comentário:

Postar um comentário