ERGO 30

ERGO 30

Comunidade Esperança

Comunidade Esperança

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

EM OLINDA, PE - MULHER É MORTA A FACADAS DENTRO DE CASA

Mulher de 32 anos foi morta por mais de 30 facadas na manhã dessa terça-feira (26). O corpo da vítima, que estava despido, apresentada ferimentos nas costas, tórax e rosto. A vítima, Marcela Gomes Leite, teve seu corpo encontrado dentro de sua casa em Aguazinha, Olinda, no Grande Recife. De acordo com populares, a mulher teria sido estuprada pelo criminoso antes de ter sido assassinada. A perícia solicitou o exame sexológico pelo IML, mas ainda não confirmou a informação. Marcela morava apenas com a filha de 13 anos, que não estava presente no local.

O corpo foi encontrado na entrada do banheiro do cômodo, após os colegas de trabalho sentirem falta da vítima e irem procurar por ela na sua casa. Ela trabalhava como assistente educacional na Associação Brasil América (ABA). Após familiares arrombarem a porta, encontraram o corpo de Marcela.

A delegada Fabiana Leandro, titular da Delegacia de Homicídios de Olinda, está à frente do caso. O corpo foi levado pelo IML para ser realizado os devidos exames. Ainda não há hipóteses sobre o suspeito nem motivação do homicídio. "Ainda não tem como dar um suspeito para o caso, visto que temos poucas evidências do crime", acrescentou a delegada. Marcela era separada do homem com quem teve sua filha e não estava namorando.

Segundo o perito Tadeu Cruz, que analisou o corpo da vítima, Marcela lutou muito para se defender. Ele ainda acrescentou que pelas marcas das facadas e pelo número de golpes, a pessoa que cometeu o crime estava com "muita raiva da vítima". O polícia vai investigar como os vizinhos não ouviram qualquer barulho vindo da casa onde houve o assassinato, uma vez que os móveis foram muito revirados durante a briga corporal e a residência fica no primeiro andar de um estabelecimento comercial, além de ter a parede colada com outra casa. Imagens de câmeras de segurança devem ajudar nas investigações.

Familiares da vítima contaram que ela era evangélica, muito dedica à família e querida na localidade onde morava. A mulher havia passado a noite anterior numa confraternização de Natal, na casa de conhecidos. A saída do carro do IML, levando o corpo de Marcela, gerou muita comoção na localidade. Familiares da vítima passaram mal a saberem da morte da mulher.

JC ONLINE

Nenhum comentário:

Postar um comentário