ERGO 30

ERGO 30

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

HOMEM É PRESO NO RECIFE POR ESTUPRAR E ENGRAVIDAR A ENTEADA DE 13 ANOS

Um pintor de paredes de 57 anos foi preso pela Polícia Civil de Pernambuco por estuprar e engravidar a enteada, de 13 anos. De acordo com a polícia, a garota, que está no sexto mês de gestação, era abusada pelo padrasto desde quando tinha 12 anos. Um exame de ultrassom feito em uma unidade da rede pública de saúde comprovou a gravidez.

A prisão ocorreu na segunda-feira (27), em casa Amarela, na Zona Norte do Recife, mas foi divulgada na manhã desta quarta-feira (29). A ação, coordenada pelo delegado Darlson Freire, teve como objetivo cumprir um mandado expedido pela 1ª Vara dos Crimes Contra a Criança e o Adolescente.

Segundo o policial, o histórico de violência sexual é grande. “A menina não sabe quantas vezes foi abusada. Ele usava a força física e começou tudo com atos libidinosos”, declarou o policial.

A polícia apontou que os estupros ocorriam na casa da garota. O padrasto, conforme as investigações, costumava ameaçar a enteada. Ele afirmava que, se ela contasse alguma coisa para alguém, mataria os parentes e até a companheira dele e mãe da vítima. “A menina tinha muito medo”, disse o delegado
Delegado Darlson Freire afirmou que padrasto usava força física para estuprara a enteada, que ficou grávida, no Recife

De acordo com Freire, a garota contou que os abusos ocorriam quando a mãe saía de casa para trabalhar. Na residência, moravam o casal e a vítima. “Quando começamos a investigar o caso, a menina dizia que tinha sido abusada por um adolescente. Em seguida, narrou tudo, com todos os detalhes”, detalhou o delegado.

A família da criança optou por não tirar o bebê, apesar do previsto em lei, apontou o delegado. “Em caso de estupro, seria possível fazer o aborto. É uma gravidez de risco. Ela muito franzina e engravidou aos 12 anos”, afirmou Freire.

O pintor de paredes foi autuado por estupro de menor de 14 anos. Caso seja condenado, poderá pegar pena de até 15 anos de prisão. A polícia informou que vai submeter o feto ao exame de DNA para confirmar que o padrasto é o pai do bebê. “Vamos esperar o nascimento e pegaremos o material do cordão umbilical”, comentou Freire.

Para o delegado, a falta do exame não prejudica as investigações. “Quando dissemos ao padrasto que faríamos o exame, ele abaixou a cabeça, como se admitisse o crime. Ele mesmo contou que tem vários filhos, em vários locais e, por isso, nós vamos averiguar”, acrescentou o delegado.

G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário