ERGO 30

ERGO 30

quinta-feira, 6 de abril de 2017

EM LAJEDO, PE - QUINTA-FEIRA DO GRITO PELA PAZ, POPULAÇÃO VAI AS RUAS COBRAR DO GOVERNO ESTADUAL MAIS SEGURANÇA


Aproximadamente 1.500 pessoas tomaram as ruas da cidade de Lajedo/PE, no Agreste, protestando contra a falta de segurança no município que vem sendo vítima de bandidos nos últimos dias.

O "Movimento Lajedo pede paz" aconteceu na tarde desta quinta-feira (06/04), quando um grupo de jovens resolveram mobilizar igrejas evangélicas, católica, poderes municipal, CDL, escolas públicas e privadas e a sociedade. Várias faixas foram expostas cobrando segurança ao governo estadual.

Enquanto o povo protestava por mais segurança e cobrando responsabilidade do governo, o governador Paulo Câmara estava com sua comitiva na cidade vizinha Garanhuns, cerca de 33 km distante de Lajedo, recebendo aliados e engrossando o caldo pra sua campanha em 2018.

Autoridades de todos os partidos unidos pedindo paz. Uma grande frustração foi a imprensa da capital que não compareceu no evento, para fazer com que as vozes fossem ouvidas nos quatro cantos do estado. Parte do comercio fechou suas portas enquanto durou o movimento. Alunos levantaram cartazes, gritaram a palavra de ordem, e espalharam-se por mais de 1 km pelas ruas e avenidas da cidade.

A vozes dos comunicadores Toinho Chagas e Francisco Neto, ambos da rádio Lajedo FM, ecoaram no percurso do movimento, clamando a paz e impulsionando os presentes.

Durante o evento que durou cerca de 01h30, a cidade parou, e expectadores ouviram e observaram que o povo unido - sem cor de bandeira partidária - pode mobilizar um evento de tão grande valor, não só para Lajedo, mas pra região. Assinaturas foram colhidas, que serão entregues na Câmara de vereadores, para que, os mesmos levem ao secretário da SDS (Secretaria de Segurança Pública), o Sr. Ângelo Gioia, para devidas providências. 


Os manifestantes cobraram do governo:
  • Maior efetivo policial
  • Reforma da delegacia
  • A volta dos plantões da DP em fins de semana
  • Permanência do BEPI e trio da ROCAM
  • A volta da Patrulha Rural
  • A criação do Batalhão Independente 
O manifesto terminou na Praça Santo Antônio, defronte a Igreja Católica, onde autoridades falaram e cobraram ações emergenciais do governador Paulo Câmara. Segundo um dos organizadores do manifesto, Donato Estéfano, "este movimento não vai parar, se for preciso terá outro ainda bem maior".

Fotos: Vídeo Foto PJ e Eraldo Nogueira 

Nenhum comentário:

Postar um comentário