ERGO 30

ERGO 30

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Pastor evangélico é suspeito de estuprar cinco crianças na Paraíba

Um homem de 36 anos que se diz pastor de uma igreja evangélica está sendo investigado pela Polícia Civil como suspeito de ter estuprado pelo menos cinco crianças, entre elas as três filhas dele, na cidade de Boqueirão, no Agreste paraibano. O homem está preso suspeito de posse ilegal de armas, na cadeia pública do município.

Em entrevista à TV Paraíba, uma das filhas do suspeito, uma adolescente de 16 anos, contou que desde os cinco anos era agredida fisicamente e abusada sexualmente pelo pai. “Uma vez ele tirou a minha roupa e me agrediu porque eu não quis. Daí começou a me ameaçar e me bater”, disse a jovem.

Segundo a adolescente, o pai também abusava das irmãs dela, de 11 e 12 anos. Elas moram em Boqueirão e a jovem disse que quando era mais nova contou à mãe o que acontecia com as três, mas o pai a mandou para o Rio de Janeiro para morar com a avó. “Ele me mandou para o Rio porque eu tinha decidido contar tudo para a polícia. Só que ele me ameaçou logo depois que eu tinha contado para minha mãe. Disse que se alguém mais soubesse ele ia me matar e matar minha mãe”, contou.

A situação das jovens só foi denunciada ao Conselho Tutelar no dia 28 de Agosto deste ano, depois que a mãe de uma outra menina, de oito anos, ouviu da filha que tinha sido tocada pelo homem. A menina tinha saído de casa com as filhas do suspeito para ir ao culto em uma igreja evangélica da cidade. “Ela falou que estava sentada e ele começou mexendo nas pernas dela, alisando, até chegar nas partes íntimas, então apertou”, disse a mãe da criança em entrevista à TV Paraíba. A menina também contou outra situação: “ele pegou no meu rosto, apertou e me fez beijar ele à força”.

O suspeito morava no andar superior ao local onde funcionava a igreja em que ele era pastor. Pelo menos cinco crianças e adolescentes que frequentavam a mesma igreja deram declarações contra o homem. “O caso já está sendo acompanhado pela justiça e o suposto agressor está em prisão preventiva”, disse o conselheiro tutelar Valdeildo da Costa.

O delegado responsável pelo caso, Cícero Pereira, não quis gravar entrevista, mas confirmou que todas as meninas foram submetidas a exames de corpo de delito e que o suspeito está preso por posse ilegal de arma, uma vez que a polícia encontrou duas espingardas na casa dele. Cícero disse também que este caso corre em segredo de justiça.


Fonte: G1 Paraíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário